Ab Lucem »

Lost Stars – Adam Levine, filme ‘Begin Again’

February 1, 2015 – 3:42 am |

Alguns anos separam meu último post neste que um dia chamei de ab lucem. Recebi e-mails solicitando novos textos, reclamações, perguntas do ‘porque parei’. O fato é que não andava muito inspirado a escrever. Bem, …

Read the full story »
Ab Lucem
Fotografia
Opinião
Nao Verbais
Cinema
Home » Ab Lucem

Lost Stars – Adam Levine, filme ‘Begin Again’

Submitted by on February 1, 2015 – 3:42 amNo Comment

Alguns anos separam meu último post neste que um dia chamei de ab lucem. Recebi e-mails solicitando novos textos, reclamações, perguntas do ‘porque parei’. O fato é que não andava muito inspirado a escrever. Bem, hoje retorno! Mais por um carinhoso pedido do que por um esforço próprio para manter o ritmo.

Minha Camilinha, este é pra você!

Apenas ontem ela me apresentou uma música que vem sendo muito tocada. Trilha sonora do filme ‘Begin Again’, é interpretada pela inconfundível voz do vocalista do Marron 5: Adam Levine. Ganhou notoriedade pela indicação do filme ao Oscar, recebendo uma belíssima interpretação da protagonista Keira Knightley, que lhe dá um toque todo especial com seu terno sotaque britânico.

Mas indo ao que de fato interessa neste post: como a interpreto, o que ouço? Não assisti ao filme, assim sendo interpreto apenas em cima do que ouvi, nada mais.

A música me passa um sentimento de conflito, confusão. Alguém perdido e tentando se encontrar. Uma conversa entre ele e ele mesmo, mas que tenta ser a dele com aquela que perdeu. Uma espécie de ensaio para quando isso de fato ocorrer e estiverem juntos, podendo expor as suas angústias, aflições e medos.

Mas ele não está ao esmo, perdido em suas fantasias e devaneios daqueles tempos passados. Há toda uma complexidade envolvida. Sentimento, desejo de estarem juntos. Sente-se só, perdido sem ela a seu lado e pede a sua ajuda, mas não a tem… Só em sonhos. Ajude-me, preciso de voce. Hoje sou fraco e frágil!

“Just a Boy caught up in dream and fantasies / Reaching out for someone I can’t see”

Agora a fantasia se mistura com a realidade, o ‘reaching out’ conversa com a protagonista de sua fantasia (‘take my hand’), pedindo-lhe que o aceite uma vez mais…

Tentemos mais uma vez! Espontaneamente, sem planos… Às vezes os melhores planos são justamente aqueles que acontecem sem planejamento, por ímpeto e desejo!

Mas a coisa se esvaece, torna-se fugaz e até aquele bom e velho cupido que os uniu pede de volta a sua flecha ‘perdida’

“I’ll be damned, cupid’s demanding back it’s arrow”

Acabou-se? Então afoguemos a mágoa aos prantos…

‘let us get drunk on our tears’

Agora começam uma série de referências a temas bíblicos. Pergunta a Deus, então, o porquê da juventude ser toda desperdiçada com os jovens. Sente-se ele velho, perdido no avançar de sua idade?

Acredito que não, parece-me mais que aqui se associa o ‘youth’ com a energia vital, vitalidade, força… Ele perdeu a vontade de tocar, seguir. Sente o peso da perda.

“And God, tell us the reason youth is wasted on the Young”

De novo voltamos ao tema bíblico. Carneiros são biblicamente sinônimo de inocência… Juventude, inocência, pureza… Sente ele a sua inocência perdida? Será que o peso do sofrimento e da decepção amorosa o tornaram mais bruto, fizeram-no cair de cara à realidade?

As ovelhas estão perdidas, perderam a sua inocência, mas não encontram significado em nada. Não entendem este mundo que se lhes desvela.

‘It’s hunting season and the lams are on the run, searching for meaning’

E aqui começa o reconhecimento da sua pequenez diante da complexidade da vida e do mundo:

“But are we all lost stars trying to light up the dark?”

Uma estrela é única, vive em solidão, mas busca, com sua força, iluminar e mostrar a sua própria existência.

Mas não somos… Somos insignificantes, apenas um grão de poeira no meio de toda uma galáxia. Ahhh, a aflição que o atinge tomar este conhecimento.

‘Woe, is me”

A consciência, entretanto, torna-se mais forte e fala com ele. Briga contra a insanidade, fazendo-lhe tomar conhecimento dele mesmo e da situação que lhe come e destrói a sua força vital, a juventude, a vitalidade.

Tome cuidado, senão a aflição toma conta e torna-se realidade. E a esperança começa a tomar conta. ‘Não ouse deixar com que as melhores memórias transformem-se em sofrimento, em tristeza por terem um dia sido e não mais’.

‘But don’t you dare let our best memories bring you sorrow’

Apenas ontem, pena, viu polos opostos se atraindo. Um leão e um cervo são inimigos naturais. O cervo é alimento para o leão e naturalmente foge dele, mas ele vislumbra um mundo onde os dois se uniram em nome de um sentimento maior. Amizade, amor, paixão, compaixão, o que seja.

“Yesterday I saw a lion kiss a deer’

Ora, se vi o impossível acontecer, porque não podemos nós uma vez mais? Vamos mudar a página. O que passou, passou! Não podemos ter um novo começo, mas tentemos fazer um admirável novo fim, e transformemos aquele nosso pranto regado a álcool em lágrimas de alegria, juntos!

Mas não… Tudo não passa justo de sua imaginação, sonhos, pensamento… Ele pensou havê-la visto chorando (por ele?), pensou havê-la chamar o seu nome… Mas no entanto…

“I thought I saw you out there crying / I thought I heard you call my name / I thought I heard you out there crying / But just the same”

Quimeras, sonhos de uma noite de tristeza contida, de um profundo sentimento de perda e desejo de que ela esteja igualmente pensando/sonhando com ele. Mas no entanto, na realidade…

Deixo duas versões, aquela que ficou como trilha sonora de Adam Levine e a versão de Keira Knightley. Alias, curioso notar como a música tanto vale para ‘ele’, quanto para ‘ela’, afinal o sentimento é universal. Desconhece gênero, idade, raça…

Aren’t we all lost stars trying to light up the dark, but then realising that, after all, we are just a speck of dust in the galaxy.

 

 

 

0 comments
UA-2800362-11